A mediação traduz-se num processo de prevenção, gestão e resolução cooperativa de conflitos que inclui a dimensão educativa, socializadora e transformadora das pessoas com um papel essencial na preparação e adequação de respostas a fenómenos sociais e educativos de âmbito glocal. É neste contexto que surge a oferta deste curso cuja finalidade é capacitar cidadãos e profissionais transformadores, com competências de mediação comunitária e intercultural, num propósito de cidadania ativa democrática, orientada para o diálogo e a (des)construção de situações pluridesafiadoras e multifatoriais de natureza social e intercultural.


Candidaturas: 2 a 16 de novembro 2022
Divulgação dos resultados:  25 de novembro 2022
Inscrições: 28 de novembro a 2 de dezembro 2022
Funcionamento: 19 janeiro a 04 de maio de 2023

Destinatários: Licenciatura/ Mestrado em Mediação, Educação, Ensino (Professores de diversos níveis de ensino e áreas disciplinares), Assistência Social, Psicologia, Trabalho Social e outros interessados que demonstrem possuir formação e/ou experiência profissional adequadas à frequência do curso.

Nível: Especialização
Duração: 16 semanas - 60 horas de contacto (regime e-learning)
Número de créditos ECTS: 12
Número de vagas: 20
Propina: 450 euros (distribuída por duas prestações)
Início: 19 de janeiro 2023 | Término: 4 de maio 2023


 Curso

2022/2023

Geral


Grau Académico:
  • Não Aplicável
ECTS:
12
Duração:
16 semanas
Regime:
Pós-laboral
Local:
Nenhum
Área científica predominante:
  • Mediação Educacional

Contactos


    Instituto de Educação
    Campus de Gualtar
    4710-057 Braga

    Tel: +351 253604240 Fax: +351 253604659
    E-Mail: cpedagogico@ie.uminho.pt
    URL: http://www.ie.uminho.pt

Descrição


A mediação traduz-se num processo de prevenção, gestão e resolução cooperativa de conflitos que inclui a dimensão educativa, socializadora e transformadora das pessoas com um papel essencial na preparação e adequação de respostas a fenómenos sociais e educativos de âmbito glocal. O procedimento metodológico associado às práticas de mediação beneficia da evolução dos conhecimentos e fusões teórico-práticas na área, potenciada pela inovação e desenvolvimento tecnológico, projetando uma configuração promotora de qualidade da comunicação, da interação positiva entre as pessoas, do envolvimento crítico e participativo, da construção da convivência e da paz.
Neste contexto, a mediação constitui um contributo essencial, alinhado com a iniciativa da UNESCO The Futures of Education: Learning to Transform (2021), tendo como propósito estimular o debate global sobre a aprendizagem e conhecimento enquanto promotores de transformação das pessoas, das comunidades e consequentemente do mundo.
Os movimentos migratórios nas últimas décadas a nível mundial e a importância de desenvolver sociedades sustentáveis e coesas têm suscitado, a nível local, nacional e internacional, a necessidade de desenvolver políticas e práticas de promoção da integração, inclusão e coesão social nas nossas sociedades multiculturais, multiétnicas e multirreligiosas. Esta necessidade vem sendo sinalizada por diversas agências como o Conselho da Europa, o Fórum Europeu de Segurança Urbana (2012), a ONU (2015) e por diversas personalidades, nomeadamente o atual secretário-geral da ONU (Guterres, 2017).
Em Portugal, o governo e o Alto Comissariado para as Migrações (ACM) têm vindo a definir, desde o início do século XXI, várias medidas para a concretização da valorização da diversidade cultural, étnica e religiosa e coesão social, entre as quais se reconhece a mediação como uma estratégia fundamental para a prevenção e a resolução colaborativa de conflitos, o reconhecimento do outro, a educação para a convivência e para a paz (Silva, 2018, p.18). O Plano Estratégico para as Migrações (PEM) 2015-2020 (Presidência do Conselho de Ministros, 2015) identifica, como um dos principais desafios da sociedade portuguesa, “o desenvolvimento de uma política de acolhimento e integração de imigrantes. A implementação de medidas de reconhecimento, gestão e valorização da diversidade cultural e religiosa tendo em vista prevenir focos de tensão baseados no desconhecimento e hostilidade mútua, fazendo das boas práticas de integração de imigrantes um ativo do país e contribuindo para a coesão social.” (Presidência do Conselho de Ministros, 2015, p. 18). Também o referencial de cidadania e desenvolvimento assume a cidadania e o desenvolvimento como um espaço curricular privilegiado para o progresso de aprendizagens com impacto na atitude cívica individual, no relacionamento interpessoal e no relacionamento social e intercultural (Viana, 2021, p.98), aspetos evocados de forma expressiva nos Decretos-Lei 54 e 55/2018, que configuram o perfil do aluno à saída da escolaridade obrigatória perspetivado para o viver em sociedade no século XXI.

É neste contexto que surge a oferta deste curso cuja finalidade é capacitar cidadãos e profissionais transformadores, com competências de mediação comunitária e intercultural, num propósito de cidadania ativa democrática, orientada para o diálogo e a (des)construção de situações pluridesafiadoras e multifatoriais de natureza social e intercultural.

Resultados de aprendizagem


i) Habilitar em conhecimentos e competências de mediação comunitária e intercultural, para a promoção da integração e inclusão social;
ii) Desenvolver competências de conceção, implementação e avaliação de dispositivos de mediação comunitária e intercultural, para atuar na propagação da inclusão e da diversidade;
iii) Desenvolver competências de avaliação compreensiva das práticas de mediação comunitária e intercultural, orientadas para a intervenção em cidadania global.

Acesso


20

Vagas

8

Mínimo

Pré-requisitos formais


Mediadores, Educadores, Professores, Assistentes Sociais, Psicólogos, Trabalhadores Sociais, Jovens Qualificados Desempregados, entre outros, constituindo condições de acesso ao curso serem licenciados (pré ou pós-Bolonha).

Pré-requisitos recomendados


A seriação dos candidatos será feita com base na sua avaliação curricular, sendo dada prioridade de acesso às vagas a candidatos provenientes de empresas e parceiros industriais associadas ao projeto “Aliança de Pós-Graduação - Competências para o Futuro” da Universidade do Minho.

Prazos de candidatura


As candidaturas decorrem entre 2 de novembro e 9 de janeiro de 2023 e têm lugar na página: https://www.alianca.uminho.pt/pt

Informação Adiccional


Observações


Curso inserido no Portefólio de Cursos do projeto “Aliança de Pós-Graduação” (Impulso Adultos – PRR).

Plano de Estudos


Avaliação/Acreditação


Estado de acreditação pela A3ES:
Data de publicação da decisão:
Deliberação da A3ES:
Número de Registo:
Data de Registo:
Validade:



Formacao_Continua_Fotos-Portal-NEW-IE_abertura_FINAL_350_Aliança_LOGO.png